Em meio a seca severa na Bahia, produtores rurais buscam técnicas alternativas para manter cultivos

Foto: Reprodução/ TV Bahia

Mais de 4,7 milhões de baianos convivem com a seca. Isso representa 32% de toda a população do estado. O dado é da Defesa Civil da Bahia, que, só este ano, já decretou situação de emergência em 219, dos 417 municípios baianos, por conta do longo período de estiagem.

Em meio a este cenário difícil, o sertanejo resiste e busca alternativas para conviver com a seca. A primeira solução veio do solo rachado: “árvore sagrada do sertão”. Assim chamada por Euclides da Cunha, o umbuzeiro é usado e serve de inspiração na construção de tecnologias para convivência com a seca.

A árvore, típica do semiárido, vive, em média, 100 anos e pode armazenar até mil litros de água na raiz. E além disso, produz uma batata, que, em época de grande estiagem, é utilizada como alimento. E foi dessa estrutura que surgiu uma tecnologia chamada “batata de salvação”. O sistema consiste em distribuir a irrigação para plantas frutíferas, por meio de reservatórios com água enterrados no solo, que se distribui para planta por uma corda ou barbante pelo princípio de capilaridade. Fonte: G1/BA

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here