Tite deve escalar titulares contra Rússia e Alemanha, os últimos antes da lista final

O atacante Willian José, da Real Sociedad, o meia Talisca, do Besiktas, e o goleiro Neto, do Valencia, foram as principais novidades da lista de convocados do técnico Tite para a seleção brasileira. Mesmo assim, os três dificilmente serão titulares nos amistosos contra a Rússia, no dia 23, e a Alemanha, dia 27.

Com sete vagas a definir no elenco que irá ao Mundial, o técnico deixou claro que o período de treinamento na Europa será usado para fechar o grupo. No time titular, Tite quer testar esquemas de jogo alternativos, principalmente com a ausência de Neymar, que se recupera de lesão.

Willian, um dos que vinham sendo constantemente chamados para a seleção, deverá ocupar a vaga aberta por Neymar nos amistosos.

O treinador quer ver como o time se comporta com o meia-atacante atuando ao lado de Philippe Coutinho.

O técnico já pensava em escalar o jogador do Chelsea como titular ao lado do atleta do Barcelona mesmo antes da lesão de Neymar. Só não o fez porque Coutinho se apresentou lesionado para os jogos contra Japão e Inglaterra.

Além dos três novatos, os zagueiros Geromel e Rodrigo Caio, os laterais Fagner e Filipe Luís, o volante Fred e os atacantes Taison e Douglas Costa terão nova chance de impressionar o técnico, se não nos jogos, pelo menos nos treinamentos.

“Não tenho dúvidas, tenho oportunidades”, disse Tite.

Também chamou a atenção na lista de Tite a ausência de jogadores que vinham sendo chamados pelo treinador de forma reiterada.

São os casos de Alex Sandro, Gil, Diego, Giuliano e Diego Souza, por exemplo. Os jogadores, porém, continuam no radar do treinador para as últimas vagas na Copa.

No total, Tite chamou 25 atletas para os amistosos. As duas partidas na Europa serão as últimas antes de o treinador chamar os 23 atletas que vão disputar a Copa do Mundo. A convocação final será feita no início de maio, em data a ser definida.

O amistoso do dia 27 marcará o reencontro da seleção brasileira com a Alemanha após a goleada de 7 a 1 sofrida no Mundial de 2014.

Apesar de não considerar o jogo uma revanche, Tite reconhece que a partida em Berlim vai testar o emocional dos jogadores brasileiros.

“É um fato real, e tem que acostumar-se a ele. Mas agora é outra etapa, outro momento”, afirmou o treinador.

CONSTRANGIMENTO

A convocação de Tite foi acompanhada pelo presidente em exercício da CBF, coronel Nunes, e pelo diretor executivo de gestão da entidade, Rogério Caboclo.

Questionado sobre a política da CBF, Tite disse que não achava o momento propício para perguntas desse tipo.

Na semana passada, Caboclo conseguiu o apoio de 25 das 27 federações para ser o próximo presidente da CBF.

Ele é apoiado por Marco Polo Del Nero, afastado pela Fifa com base nas acusações feitas na Justiça dos EUA. Ele teria participado de esquema de recebimento de propina na venda de direitos comerciais de torneios no Brasil e no exterior. O cartola nega. Fonte: Folha de S. Paulo

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here