“Medo de vírus faz chineses comerem mais frango e carne suína do Brasil” .

“Preço do frango no mercado chinês alcançou o maior valor em três anos; vendas ao país asiático se mantém firmes, apesar de sobretaxa de até 38%”

“Um número cada vez maior de chineses está optando em trocar à mesa a carne de porco pela de frango, diante da crescente preocupação com o alastramento da febre suína africana. Como resultado, o preço do frango no mercado doméstico chinês alcançou seu maior valor em pelo menos três anos.”
“A mudança de hábitos dos chineses afeta diretamente o setor de carnes no Brasil. Entre 160 países, a China é o segundo maior importador do frango brasileiro. Nem mesmo a sobretaxa de 18% a 38% aplicada pelo governo chinês em junho – alegando a prática de dumping – impediu a expansão das vendas para o país asiático. Segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), a China importou 364 mil toneladas de frango do Brasil entre janeiro e outubro deste ano, volume 9% superior ao realizado no mesmo período de 2017.
E não é somente a carne de frango brasileira que está sendo mais demandada. “Hoje já está indo mais carne suína para lá também. A China já sacrificou mais de 600 mil animais. E fala-se em milhões de matrizes sacrificadas. A febre suína africana vai mudar todo o mercado mundial, porque os volumes que a China está precisando são absurdos. Não podemos festejar a desgraça alheia, mas é uma grande oportunidade para o Brasil”, diz Ricardo Santin, diretor de mercados da ABPA.
A China é o maior produtor mundial de carne suína, com 55 milhões de toneladas por ano. A estimativa da ABPA é que o país asiático precisará importar de 4 a 5 milhões de toneladas para compensar as perdas pela febre suína africana. “Hoje exportamos 640 mil toneladas por ano de carne suína para a China. A Rússia agora voltou a importar do Brasil. Em 2019, teremos um drive de recuperação muito forte na suinocultura brasileira”, destaca Santin. “Depois da tempestade de 2018, esperamos que venha a bonança. Mas o pilar básico, a regra de ouro, é não permitir nenhum problema sanitário”, complementa.
Alastramento
Focos do vírus mortal da febre suína já foram identificados em mais de metade das províncias chinesas. As autoridades baniram o transporte de animais vivos nas áreas afetadas. A província de Sichuan, maior produtora de carne suína no país, proibiu a entrada de suínos vivos e produtos derivados vindos de outras regiões, numa tentativa de proteger sua cadeia produtiva.”
VIAinformações da: gazeta do povo
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here